Our Recent Posts

Tags

Estresse e dor crônica: a ansiedade disfarçada de perfeccionismo


A palavra que mais ouço no consultório é o tal do “tem que”. Tem que estar em forma, tem que ser bom profissional, tem que ganhar dinheiro, tem que parar de perder tempo, tem que fazer tudo dar certo. No resumo, tem que ser bom o suficiente para dar conta das coisas. E sobre esse assunto meu bem, até a psicóloga aqui já se atrapalhou em outros tempos.


E vou te contar: o corpo paga. E como paga! Dores por todos os lados. A sensação é de um eterno estado inflamatório. Quando o assunto é dor e ansiedade, você está falando com uma especialista (literalmente - na teoria e na prática). Foi aí que comecei a me interessar por Mindfulness, estados de atenção plena e meditação.


E decidi transformar um problema crônico em trabalho. E sabe, passei a encarar a dor crônica não mais como “inimiga”, mas como aliada. Quem melhor do que a bendita para me avisar quando a auto cobrança “chegava chegando? Há! Gostou dessa? Pois é! Descobri que podia inclusive ESCOLHER errar, desde que eu estivesse atenta às minhas escolhas e topasse as consequências. Legal, não é? E difícil também, diga-se de passagem.


Quando estamos atentos a nós e as nossas emoções, as escolhas ficam mais conscientes e a necessidade de fazer tudo certo vai por água abaixo. É um entendimento dos fatos como se apresentam, sem tantas fantasias e expectativas. Aliás, isso é o próprio Mindfulness: a aceitação passa por compreender que algumas coisas simplesmente são como são e não do jeito que eu gostaria e que somos visitados por diversos sentimentos ao longo de uma jornada, sejam eles bons ou ruins, é preciso apenas compreender que eles estão ali de passagem, logo darão espaço para um novo sentimento.


Quando compreendi isso, eu dei aquela virada boa na vida que a gente tanto espera, sabe?


Ficou curioso para saber mais sobre isso?


Ótimo, sinal de que você já deve ter se cansado do “mimimi” disfarçado de perfeccionismo que ronda a sua cabeça e deixa sua ansiedade lá nas alturas. E então, vamos praticar Mindfulness?